quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

30/12/2010 10:10 Sonhos...

Perguntaram-me se acordei mal disposta!
Eu nunca acordo mal disposta...
era uma característica minha.
Era.
Acordei zangada,
acordei triste e frustada.
Acontece quando sonho contigo.
Sonhei contigo.
Tenho sonhado contigo nestes últimos tempos.
Talvez da época.
A época da família.
Família que eu tenho
mas que ao longo dos anos se foi tornando mais pequena
embora o nascimento dos meus sobrinhos a tenha aumentado,
mas no seu núcleo inicial, diminuiu.
1º o meu irmão, depois o meu pai
e agora tu!
E sinto muito agora nesta época a falta de todos,
mas a mais recente é a tua.
Passou ainda muito pouco tempo para me ter acostumado.
DÓI-ME de gritos ainda a tua falta.
Continuo a perguntar-me porquê.
Continuo a achar quase impossível que tenhas partido.
E é por isso que tenho sonhado imenso contigo.
De 23 para 24,
talvez por uma conversa,
talvez por uma lembrança tão forte
tive um sonho muito real contigo.
Tive um sonho em que senti,
em que te senti.
Tive um sonho com dificuldade em distinguir se era real.
Amei-te. Amáste-me.
Chorei imenso acordada depois.
AMO-TE Miguel.
E é sempre UM PRAZER sonhar contigo.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

02/12/2010 12:41 Saudades! Tantas saudades!!!

Que saudades...
que saudades tão grandes que sinto hoje no meu peito.
Mas hoje são das que me consomem,
das que vêm atrás de mim,
das que aparecem em todos os cantos.
Tudo me está a fazer lembrar-te.
Tudo me está a fazer recordar algo passado juntos.
E depois faz-me chorar.
Sei que sonhei contigo,
sei que não gostei do sonho.
Não percebi se era para me dizeres para seguir.
Mas não adiantou.
Os ciúmes solidificam o meu amor
que é o único sentimento que me fazes ter.
Amor.
Mais amor.
Amor forte e sólido.
Não sei também se foi por ontem,
mas hoje estou assim.
Ontem a tua Mãe fez anos
e reunimo-nos como sempre.
Desta vez com o Zé Afonso e a família.
Família!?
Foi aí que olhei para o meu lado e não estavas lá.
E todos nos ríamos.
Mas eu sei que a tua Mãe também olhou para o lado.
A ela faltava-lhe também o teu pai.
O teu pai de um lado e tu do outro.
É a tristeza disfarçada num dia de anos
que ela nem queria comemorar.
Mas eu, o Dani, a Maria,
O Zé Afonso, a Alcina e o Francisco,
cantámos-lhe os Parabéns!
E de certeza que todos juntos,
conseguimos que ela se sentisse um pouco mais feliz.
Talvez tenha sido por essa mistura,
por essa confusão de sentimentos,
que sonhei contigo
e que hoje estou assim!
CHEIA de SAUDADES TUAS!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

20/11/2010 10:00 Sonhar...

Sonhar é viver um pouco enquanto dormimos.
Especialmente quando já não temos
a presença física de com quem sonhamos...

...

E só não fomos os 2 para o hotel
porque o meu despertador tocou.
Mas foi bom voltar a beijar-te.
Foi muito bom.
E sim, ainda te amo o suficiente.
Ou, como disfarçaste a pergunta,
ainda tenho saudades de ti, efectivamente.

05/11/2010 0:21 Um ano!


Hoje faz 1 ano,
faz 1 ano que partiste
e que nos deixaste para sempre.
Faz 1 ano que dormimos juntos a última vez.
Faz 1 ano que me abraçaste, como sempre
e que encostáste o teu pé ao meu
e adormecemos.
Hoje faz 1 ano.
Faz 1 ano que nos beijámos a última vez.
Faz 1 ano que te despediste de mim à porta,
no "bom trabalho" habitual,
no "até logo" e o "inté",
não sabendo que seria a última vez que nos iríamos ver.
Faz 1 ano que nos rimos 1 para o outro,
quando mais uma vez voltei atrás,
porque me esqueci de qualquer coisa.
Hoje faz 1 ano.
Faz 1 ano que recebi o telefonema,
que com muito custo mo fizeram,
por ti, por teres partido
e sabendo o que seria para mim.
Faz 1 ano que implorei para me deixarem ver-te,
porque não queria acreditar.
Faz 1 ano que te vi,
como nunca te imaginei ver,
muito menos tão cedo,
tão antes do natural.
Hoje faz 1 ano que a minha vida mudou,
para sempre.
Faz 1 ano que acabou a felicidade que sentia,
que começou este sem sentido, de ser, de viver.
Faz 1 ano que me agarro à vida
sem aquela fome de a viver.
Hoje faz 1 ano.
Faz 1 ano que deixáste uma foto no meu PC,
a tua última foto,
para mim, só para mim,
numa moldura enlaçada à volta,
como se de uma prenda se tratasse.
Faz 1 ano por volta desta mesma hora...
11 horas depois partias para sempre...
Caíste nessa estrada
que te roubou a vida.
Ficarás para sempre numa metade do meu coração
porque a outra metade morreu contigo...
...faz 1 ano!

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

04/11/2010 14:14 52 semanas...

Faz hoje 52 semanas que te vi a última vez...
foi dia 5, mas foi há 52 quintas-feiras atrás.
Tanto tempo já passou
e eu amo-te como se estivesses cá.
Amo-te como se fosse possível ter-te.
Amo-te porque não posso deixar de te amar,
só porque não estás cá
ou só porque seria melhor para mim.
Não tenho controlo sobre isso.
Não tenho controlo sobre nada.
Não controlo a dor que sinto
ou a vontade de chorar.
Não controlo o teres partido
e o querer-te voltar a encontrar.
Amanhã vou onde te deixei a última vez que te vi,
já sem vida,
nessa tua morada,
onde só tu podes estar.
Não é por culto que vou lá.
Estás longe e não posso ir sempre.
Vou quando tenho vontade
e é amanhã que quero ir.
Estás longe,
mas tão perto aqui dentro,
no meu coração,
que para mim,
será realmente esta a tua última morada.
No meu coração.
Coração que bate mais devagar sem ti aqui.
Falta-lhe cá
o que o fazia palpitar,
com força,
com amor.
Faltas-me tu...
há 52 semanas...

04/11/2010 14:33 No words

Se eu pudesse fazer alguma coisa...
Se eu pudesse contar ao mundo,
a falta que me fazes,
as saudades que eu sinto tuas...
Se adiantasse alguma coisa,
eu gritava até ficar rouca.
Com toda a força que tenho,
que é muita,
pois às vezes nem eu acredito
como tenho aguentado.
Às vezes nem eu acredito,
como me consigo rir,
como tenho conseguido levar tudo,
em frente,
sozinha.
Sim, sozinha,
sozinha cá dentro,
verdadeiramente sozinha.
Tenho medo de não me voltarem a preencher,
como tu me preenchias por completo.
Tenho medo de não conseguir voltar a amar,
como te amava a ti.
Às vezes doí-me tanto,
que tento pensar que, para ti,
eu não era um grande amor.
Talvez para me tentar libertar.
Talvez para tentar que me custe menos...
não adianta.
Dói-me sempre,
hoje, amanhã, sempre.
Sem palavras?
Porque cada vez que tento falar
só me saem lágrimas...

04/11/2010 14:14 Todos os dias...

Já não choro todos os dias...
com lágrimas.
Já não choro todos os dias...
como se tivesse sido hoje.
Já não choro todos os dias...
Mas todos os dias me lembro de ti.
Todos os dias,
choro a vontade de te ver.
Todos os dias,
choro a vontade de te ter.
Todos os dias choro o não estares cá,
e lamento não ter o poder,
para alterar este teu triste destino.
Lamento não ter o poder
para te trazer de volta,
mesmo que não fosses para mim.
Amo-te como te amava ontem,
se fosse ontem o último dia que estivemos juntos.
Amo-te como te amava hoje,
se fosse hoje o último beijo que te dei.
Foi hoje...
Foi hoje que te perdi...
há 52 semanas atrás.
E está-me a doer como se fosse hoje.
Quero-te muito
e ainda não consigo entender porque aconteceu...

terça-feira, 26 de outubro de 2010

20/10/2010 13:32 Muito...ainda!!!

Valerá a pena tudo o que se sofre aqui?
Não será apenas um compasso de espera...
para uma vida melhor?
Eu choro por ti todos os dias.
Valerá a pena este sofrimento?
Será que me esperas para essa vida melhor?
Será que o pano desce aqui,
mas não continuará, ou começará, o espectáculo,
noutra sala maior?
Com um público diferente,
mais experiente,
consciente do que se passou
e pronto para o que vem a seguir...
Todas estes pensamentos me assolam,
desde sempre.
Desde que partiste então...
as dúvidas, os porquês, aumentaram.
A ânsia de te voltar a ver...
A tristeza que a incerteza me provoca...
o medo de que seja impossível.
Custa-me muito se aqui for o final.
É injusto.
Tenho tanto para te dizer...
tenho tanto para te contar...
E por mais que pense positivo,
por mais que pense que o amor,
não se divide e que se multiplica
e que posso vir a amar alguém,
ainda mais que o que te amo a ti,
não me conforta em nada,
pois tu não és substituível...
És, foste e serás sempre o meu Miguel.

Tenho muito,
muitas saudades tuas,
muitas vezes ainda!

P.S.: Não te quero deixar de amar...

domingo, 17 de outubro de 2010

17/10/2010 21:16 Não me estou a esquecer...

Não te estou a apagar.
Não me estou a querer esquecer.
Estou a querer continuar...
por isso deitei fora o Nestum, o chocolate e o chá.
Deitei fora os cremes e o shampo.
Não me servem para nada.
Não me fazem ter-te mais perto.

Não te estou a apagar.
Não me estou a querer esquecer.
Estou a querer continuar...
Por isso coloquei a toalha da praia para lavar,
onde estiveste tu no nosso último dia de praia.
Lavei a toalha do banho,
onde limpaste o teu corpo,
naquela última manhã.
Não me fazem ter-te mais perto.
Não encurtam a distância que nos separa,
por mais que as abrace e cheire.

Não te estou a apagar.
Não me estou a querer esquecer.
Estou a querer continuar...
Por isso tirei algumas fotos,
algumas apenas... são ainda tantas!
Mas não me fazem ter-te mais perto.
Não me fazem não te esquecer.
Fazem-me lembrar que não estás cá...
aumentam um pouco mais a minha dor
pela constatação permanente de que não voltas...
e eu não preciso destas lembranças.
Não preciso que me lembrem
o que não consigo esquecer...

E quando te quiser ter um bocadinho mais perto,
mais perto ainda que o facto de morares no meu coração,
mais perto ainda que consiga sentir o teu cheiro...
tenho ainda tantas lembranças tuas!
Tenho o teu blusão, guardado, que ainda te tem muito presente
pois não foi lavado (nem o será),
a tua camisola de lã, que te fazia ainda mais bonito
e que ainda guarda o teu cheiro.
Os teus calções de praia,
os ténis que te dei e que sei que adoravas,
basta ver o uso deles.
As botas da mota, os patins...
Tantos kilómetros fizemos os 2, de patins...

E não,
não te estou a apagar,
da minha vida, da minha memória.
Não me estou a querer esquecer.
Estou a querer continuar...

P.S. Continua a visitar-me no meus sonhos!

terça-feira, 5 de outubro de 2010

5/10/2010 19:17 * 11 meses... JÁ!??!!?!?!

Sim. Faz hoje 11 meses.
Não dá para esquecer.
É impossível.
Quase tudo o que me rodeia me faz não me esquecer de ti.
Este blogue, por exemplo,
foste tu que me ensináste a criar.
E foste o meu 1º seguidor.
A minha conta do gmail para entrar aqui,
lembra-me sempre de ti...
foste tu que criáste a minha password!
O meu PC que configuraste.
Este portátil que fomos comprar.
Os cd's que oiço e que me gravaste, maioritariamente.
O meu carro, que me ajudaste a escolher.
A mota, que ainda não tenho, mas que sonhámos para mim.
A minha casa, com as nossas coisas.
A minha vida, tão cheia de ti.
E por mais que eu tente ultrapassar,
pois tento-o, pois tenho que o fazer,
há sempre dias que são horríveis.
Há dias que passam e que já consigo não chorar,
mas são tão poucos... perante o pranto em que começo,
quando me dói e não consigo aguentar.
Quando me sento e me sinto.
Quando te sinto tão longe,
tão inalcansável.
Tão definitivo.
Para sempre!
Que triste não te poder dizer que já encontrei,
encontrei a música que procurámos naquele dia.
E fez-me sorrir,
mas queria-te dizer e não sabia se me conseguias ouvir
e fez-me chorar,
triste, impotente, frustrada.
É assim que muitas vezes me sinto!!!
Mas também me dás muita força às vezes...
muitas vezes, pois já passaram 11 meses
e eu ainda estou por aqui,
a seguir em frente,
a chorar por não te ter
e a sorrir por poder recordar tudo o que tu passáste na minha vida!!!

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

5/08/2010 14:59 * 9 meses


Não consigo escrever nada hoje.
Sinto a tua falta, ponto.
Gostava que estivesses cá, ponto.
Adorava que estivesses comigo, ponto.
E que estivesses a viver comigo esta nova fase...
que foste tu que provocaste.
Esta mudança obrigatória...
que a tua morte me obrigou.
Amo-te muito Mick
e sei que estás contente por mim.
E esta casa que agora é minha,
será a sempre a casa que seria nossa.
E se calhar, por ver assim,
é que me sinto tão tranquila,
à noite,
quando me deito e adormeço...
quase feliz!!!

quinta-feira, 15 de julho de 2010

15/07/2010 11:23 DÓI... MUITO!!!

A minha dor é enorme e todos os dias tem aumentado.
Precisava fugir... sim fugir.
E não sou de fugir das coisas, mas...
só um bocadinho...
dói-me tanto!!!

15/07/2010 10:46 36 semanas!


Fazem 36 semanas!
Não, não as ando a contar...
Já contei, mas agora não.
Já perco a conta,
porque na realidade não interessa...
Vão sendo sempre mais.
Vão sendo sempre muitas... demais...
Não as conto, mas todas as 5ªs feiras,
TODAS,
me lembro da manhã em que saí de casa,
em que fui à porta da cozinha me despedir,
em que me elogiáste e me beijáste
e lembro-me perfeitamente de ti,
em pé a olhar para mim...
ainda voltei atrás, para buscar a minha mala
e ainda nos despedimos, mais uma vez...
só não sabia que ia ser a última, amor...
do meu coração,
da minha vida,
da minha tristeza....

15/07/2010 10:45 Não muda nada!

Eu sei que não posso fazer nada...
Eu sei que nada do que eu faça, altera este destino...
Mas isso não altera em nada
a dor enorme que sinto,
as saudades imensas que todos os dias aumentam.
Amo-te ainda muito
e também não me apetece deixar de te amar!!!

quarta-feira, 14 de julho de 2010

14/07/2010 18:47 Apenas um pensamento ou um desejo...

Se Deus permitir...
Se este ser superior o permitir...
E se o que acredito ser
(pois outra lógica não vejo,
e tudo sem sentido seria...),
se o que creio, acontecer...
eu espero todo o tempo,
espero todos os anos que faltem,
abdico de um novo amor ter,
sabendo que te vou encontrar!
Sabendo que um dia te vou rever
e que te vou abraçar!
E como não tenho a certeza...
de olhos fechados vou ter que o fazer,
às escuras...
mas não tão escuro como cá dentro me sinto estar,
não tão escuro, que mesmo com tanta luz, não te consigo ver,
não tão escuro, como neste momento,
sem ti aqui, me sinto ser!

quarta-feira, 7 de julho de 2010

07/07/2010 01:03 Faro... ou talvez não!


Não!
Faro não!
Não vou a Faro este ano.
Não quero Faro assim.
Sem ti e a recordar-te em todos os cantos,
em todas as motos que passem,
em todos os motards que me cerquem.
Não consigo.
Dói de mais ver que não estás ali.
Dói de mais recordar constantemente os dias de Faro,
as noite de Faro... de todos os anos passados.
Não consigo.
Não quero.
E não estou a fugir.
Nem estou a abandonar a homenagem que os nossos amigos te vão fazer.
Vou estar contigo,
lá em cima,
onde te deixei na última vez que te vi.
Nessa tua nova morada onde não posso estar contigo.
Mas, e repito-me, estás sempre comigo, no meu coração!!!!

07/07/2010 00:51

Fez ontem (ainda ñ m deitei) 8 meses.
Foi horrível.
Não foi diferente dos outros dias,
Não foi diferente das outras datas,
mas senti imenso.
Senti diferente.
Senti o não estar contigo e ter-te perdido para sempre.
Eram 11:10 quando olhei para o relógio..
tive que pedir ao Soares para sair um pouco..
fui lá para cima, para o Moinho,
escondida atrás de um pinheiro,
sozinha,
contigo.
A reviver a última vez.
A chorar por ter sido a última vez.
E a saber que perto daquela hora,
segundo "eles" às 11:27
tu deixaste este mundo,
para nunca mais voltares,
para eu nunca mais te ter ou ver...
e isso consome o meu coração.
Não vai ser para sempre assim,
mas sei que vai ser sempre assim.
Todos os dias da minha vida,
por breves momentos apenas que sejam,
eu vou ser infeliz por não estares aqui!

quinta-feira, 6 de maio de 2010

06/05/10 23:29 * 6 meses, 1/2 ano, uma eternidade

Fazem hoje 26 semanas...
Fez ontem 6 meses,
meio ano,
uma eternidade.
É assim que descrevo melhor o que sinto...
a tua falta...
parece que já passou uma vida...
e às vezes penso que ainda falta uma vida,
para te voltar a encontrar...
Que saudades que sinto tuas, Miguel Alexandre do meu coração...

domingo, 18 de abril de 2010

14/04/2010 0:20 Quando a Saudade bate e o aproximar do Verão traz também tristeza

Saudades...
este Verão vai ser muito fod***.
Lamento o termo, mas vai ser mesmo!
Mick, sem ti este Verão não vai ser o mesmo.
Sem ti vai ser 1 Verão muito cinzento!

"Partilho da tua tristeza...
Muitas das coisas que faziamos, fazemos, faremos, no Verão,
sem o Mike não são, nem serão, o mesmo.
Miss him a lot"

...e é por essas mesmas razões
que este Verão por mais azul que seja,
vai ser muito cinzento,
porque em todos os momentos de alegria que irei / iremos sentir,
vai haver sempre 1 pouco de tristeza por ele não estar cá,
para os partilhar connosco.
Sinto muito a falta do Mick também...
todos os dias quando acordo
e todos os dias quando adormeço...
no resto do dia vou sentindo a falta dele
também pelas diversas recordações que constantemente me vêm à memória...

sábado, 17 de abril de 2010

17/04/2010 Mais um dia!!!

Todos os dias são difíceis.
Uns mais que outros.
Uns porque me vêm à lembrança
(e atenção, vêm, não são provocadas),
várias memórias,
várias situações,
que me deixam triste,
com saudades
e até com um sorriso na cara,
mas um sorriso com lágrima.
Outros em que a própria vida se encarrega de me fazer sorrir.
Em que as recordações vêm na mesma à minha memória,
mas que me sinto calma e serena
e que aceito o que aconteceu.
São muito poucos esses dias.
São raros.
Hoje não foi um desses!
Hoje acordei assim:
zangada.
Não sei com o que sonhei,
nem sei se foi contigo.
Mas sei que acordei zangada
e prolongou-se pelo meu dia.
Não desanquei ninguém por isso...
não tenho o hábito de o fazer.
Mas também não tolerei isso nos outros.
Não estava com paciência.
Para rir,
para fazer rir,
para aceitar as manias dos outros.
Hoje foi o meu dia de ter a mania.
De ter a mania que também sou importante
e por isso não me preocupo com o que vão achar.
Não me preocupo em ser forte.
Não me preocupo com aparências da alma.
Estou triste, ponto assente...
e tenho todos os motivos do mundo,
nem que seja só para mim,
pois só eu sei a falta que me fazes.
Não me interessa hoje a falta que fazes aos outros.
Só me interessa hoje,
a falta que me fazes a mim.
E por isso é que são 3:05 da manhã
e eu estou aqui a chorar,
sem ti
e pelo facto de nunca mais voltares.
Amo-te e sei que te vou amar sempre.
Não depende de mim!

segunda-feira, 5 de abril de 2010

05/04/2010 23:55 5 meses

Faz hoje 5 meses.
Parece tanto tempo...
e tão lento.
No entanto, já passaram 5 meses.
Rapidamente.
5 meses sem te ver.
Embora todos os dias te veja
pois todos os dias páro em frente aos teus retratos.
Quando olho para os teus retratos,
sinto sempre tanta saudade.
Saudades das tuas atitudes,
da tua maneira de ser,
da tua maneira de estar.
Reconheço-te todas as expressões,
todos os gestos.
A maneira como seguravas na tua cerveja.
Como seguravas no teu café.
A tua maneira de rir,
ou a cara que fazias quando dizias as tuas piadas
que todos se desmanchavam a rir menos tu.
Há tanto tempo que não te vejo enrolar um cigarro...
e sei tal e qual como o fazias.
Do princípio ao fim,
com a meticulosidade habitual
de quem quer que saia perfeito.
Há fotos tuas que captaram a tua expressão.
Tal e qual.
O tal arrefecer da cerveja na boca.
O puxar do bafo.
A tua postura, calma e segura.
O sorriso malandro.
Ou aquela cara que fazias para mim,
que eu não gostava...
parecias um mongo, lembras-te?
E fazia-la de propósito.
Só para me veres fazer a fita...
E como nos ríamos os dois depois.
Todas essas expressões...
Sei de cor...
Tenho-as todas gravadas na minha mente
e consigo vê-las com o meu pensamento
e sentir a dor de não as poder ver mais com os meus olhos...
E quando olho para os teus retratos,
custa-me sentir que só te posso ver assim
e custa-me ver que não te posso sentir mais,
pois as fotos que eu vejo
não me deixam sentir o teu calor.
Por mais que eu as acaricie...

segunda-feira, 29 de março de 2010

29/03/2010 00:01 Livre!

Ontem fui ver Ena Pá ao Maxime.
Fartei-me de cantar,
de dançar,
de moshar até (muito soft, claro, afinal estavamos nas mesas).
Enfim, fui uma perfeita adolescente
e nestas ocasiões gosto de ser assim...
como me apetece
e sem me reger por regras que não entendo, nem aceito.
É bom não deixar que os 36 anos
me impeçam de ser quem sou na realidade:
uma eterna criança
e livre, muito livre.
A noite de ontem também foi isso:
libertadora de todos estes últimos meses
e o meu amor não deixou de estar comigo por isso.
Sempre!

domingo, 28 de março de 2010

28/03/2010 23:48 Lúcidez...

Gosto quando me sinto assim... lúcida.
Sem aditivos, nem corantes ou conservantes.
Quando me sinto apta para agir...
ou reagir.
Quando me sinto com capacidades...
(só preciso me organizar)
Gostava de conseguir colocar em prática,
muito dos meus desejos...
Gostava de conseguir também,
agir como o meu amor me ensinou,
pôr em prática tudo o que o meu amor me ensinou.
Validar o facto de ele ter aparecido na minha vida,
por alguma razão.
E tenho pena que o meu estado de loucura,
habitual,
não me tenha permitido reter
muito mais de tudo o que me tentou ensinar.
De tudo o que me ensinaste...
"Aprender é ouvir mais que falar Karlota.
Se tu só falas não aprendes nada,
só transmites o que já sabes.
Se ouvires, aprendes sempre coisas novas..."
mesmo que por vezes não seja tão interessante,
tão importante
ou até que nem se concorde.
Isto pelo menos aprendi...
estava lúcida!!!

28/03/2010 18:12 E para sempre!

E embora todos os dias da minha vida chore,
por ti, por nós, por mim,
vou tentar ser feliz.
Quero, sempre o quis.
E sei que é isso que queres para mim.
Sei que não estás zangado comigo.
Sei que me compreendes.
Sei que preferes que não chore tanto.
Sei que preferes que me ria mais,
como o tenho feito.
E sabes que me desculpo sempre a seguir,
por amor a ti.
Pelo amor que hei-de sempre sentir por ti Mick...
mas sei que entendes a necessidade.
Acho que até és tu que me ajudas
e que colocas no meu caminho estas portas,
meio abertas...
e sei que conto com a tua ajuda
embora, e tu sabes,
queria tanto que fosses tu,
aqui,
a fazer-me rir,
a passear comigo,
a levar-me sem destino,
só para aproveitar o dia,
o tempo,
este tempo que passa por nós
e que por vezes nos deixa tristes...
Por isso adorávamos os dias de Sol,
mas sabes que sempre me confortou
um dia de chuva acolhedor,
para estarmos em casa,
debaixo dos cobertores,
agarradinhos,
a aquecermo-nos...
Amo-te tanto ainda...

28/03/2010 18:09 Sempre!

Pode até aparecer alguém...
e eu quero que aconteça...
mas não significa que eu te esqueça nunca.
Nós não acabámos,
fomos apenas abruptamente interrompidos.
Este amor que eu sinto tão forte,
só está adormecido,
para sempre
e para sempre vai ficar aqui...
Mas não me vai impedir de amar outra vez...
Quem teve 2 grandes amores,
concerteza vai ter 3
e fechar o ciclo que dizem
ser este o nº de grandes amores
que se podem ter numa vida.
Nunca te vou esquecer Miguel,
apenas vais adormecer dentro de mim,
e ficar aqui no meu coração,
sempre!

28/03/2010 17:58 Just a thought...

Se Deus mo permitísse,
eu não contava nada a ninguém...

terça-feira, 16 de março de 2010

16/03/2010 00:53 Cabo da Roca

Fui ao Cabo no Domingo.
Eles foram de mota,
nós fomos as 2 de carro.
Levei-te uma flor...
eras tu que também ias
ou então já lá estavas...
no meio daquelas motas todas,
ou na viagem com o Mega.
Foi estranho,
foi triste,
mas foi bom.
Foi uma homenagem,
foi o perpétuar de uma tradição...
mas foi estranho ir sem ti.
Foi estranho não te ver lá,
na tua moto.
Pensei muito no quanto irias gostar,
depois destes dias todos de chuva,
do dia ensolarado que estava.
O Domingo perfeito para ir ao Cabo da Roca.
Lembro-me como ias logo à janela da sala,
aos Domingos de manhã,
olhar para a serra de Sintra,
para o palácio da Pena,
ver como estava o tempo para irem.
Lembro-me da última vez que foste
e que fizeste precisamente isso.
Só que o palácio enganou-te
e tu e o Mega apanharam uma grande molha.
Telefonaste-me ao meio dia... já cá estavam.
As calças ficaram no chão do quarto um dia inteiro,
completamente encharcadas.
Mas rimo-nos bastante com isso,
como ultimamente nos ríamos de tudo.
Estava tudo tão bem...
tal como este Domingo estava perfeito.
Perfeito para irmos os 2 ao Cabo, de mota.
Dia perfeito tal como tu gostavas...
e acho que todos sentimos isso...

15/3/2010 18:25 A caminho da Psico...presa no trânsito


Fui ao Cabo ontem,
Levei-te uma flor...
eras tu...
Levei a nossa flor,
o nosso Sol.
Não, não foi um girassol.
Levei uma geribéria, laranja,
quente como o Sol,
o nosso Sol..
Aquele que tomávamos à janela.
Aquele que apanhávamos aos Sábados,
na varanda dos teus pais,
ou na praia, depois do almoço
em pleno Inverno que fosse,
bastava o Sol espreitar.
Aquele que fazia do teu dia,
o dia ideal.
Levei a geribéria laranja,
aquela que me davas nas datas especiais,
aquela que te dei e que foi contigo.
Aquela que te levo, quando te vou ver,
para te aquecer,
com o meu amor,
com o calor do nosso Sol...
e como tu adoravas um belo dia de Sol.
Levei a geribéria laranja
e atirei ao mar,
com a força dos nossos amigos,
que se uniram a mim, no meu gesto,
que se uniram a ti, no sentimento que lhes dói.
Foste leve, até ao mar,
num dia de Sol,
num Domingo perfeito para se ir ao Cabo.

5/1/2010 11:21 (escrita atrasada)

terça-feira, 9 de março de 2010

09/03/2010 00:34 Dias bons e dias maus

Hoje foi 1 dia particularmente, menos bom.
Foi dia da mulher!
E eu senti-me incrivelmente só,
mesmo com todo o carinho que recebi,
de colegas e colegas.
Mas inevitavelmente senti-me só.
Não que tu desses muito importância a estas datas...
mas davas importância aos meus dias
e só de pensar na diferença que farias,
torna os meus dias, actualmente, inúteis
e sem significado algum.
É assim, há dias bons
e dias maus... muito maus...

sábado, 13 de fevereiro de 2010

10/02/2010 8:10 Sonhei contigo

Sonhei contigo hoje.
Pedias-me para não te deixar de amar.
E eu pedia-te para não me deixares,
não pelo pressuposto de morte,
mas da distância física
que uma viagem pode provocar.
Não pressupus a morte,
como quando sonho com o meu pai ou com o meu irmão,
em que os reencontro depois de muito tempo
e sei que por terem morrido.
Contigo foi diferente, normal,
talvez fosses apenas viajar
e eu apenas te pedia para voltares...

09/02/2010 16:49 Se Deus permitísse...

Se Deus permitísse...
Se Deus permitísse que voltásses.
Se estivesses triste por me ver assim.
Se estivesses triste porque gostas muito de mim.
Se estivesses triste por estar sem mim...
será que Deus permitia que voltásses?
Talvez o teu amor não fosse assim tão grande...

E a vida vai fazer com que apareça outro alguém
e tu vais pensar que eu te esqueci
e vais aguentar...
Se Deus permitísse que tu voltásses,
eu não me permitiria voltar a gostar de alguém!

sábado, 6 de fevereiro de 2010

06/02/2010 12:27 Eu... ser (in)feliz!

Estás comigo!
Estás sempre comigo!
Falo contigo,
olho para cima...
Olho para ti!
Espero que estejas comigo.
Mas, isto se não te fizer mal.
Isto, se o que penso poder ser assim,
for mesmo
e se não te fizer mal.
Se estiveres por querer.
Se estiveres porque queres
e por poderes.
De resto,
se não for bom para ti,
não te prendas por aqui.
Vai, faz o teu caminho,
atravessa o rio
e não olhes para trás,
nem o faças com tristeza.
Vais estar sempre no nosso coração.
Tem a certeza disso.
Vais estar sempre no meu pensamento.
E eu, mesmo (re)fazendo o meu caminho,
vou ser sempre um bocadinho infeliz,
todos os dias da minha vida,
por tu não estares aqui.
Mas vou ser feliz,
por ter tido o previlégio de te conhecer,
de teres feito parte da minha vida,
de teres feito parte do meu crescer,
enquanto ser errante.
Obrigada Miguel,
por me teres dado a felicidade
de olhar para trás
e lembrar com carinho o nosso passado.
Obrigada por existires em mim.
Amo-te!

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

05/02/2010 23:54 Parece mentira!

Faz 3 meses hoje.
Que saudades que tenho tuas.
Ainda me parece mentira.
A vida começa a voltar ao normal,
mas há sempre aquele momento do dia,
em que me lembro que não estás cá,
que não vais mais estar
e que parece incrível e impossível,
como ainda "ontem" estavamos juntos
e como hoje e amanhã não vamos estar mais.
Parece mentira,
todos os dias me parecem mentira.
E dói por ser verdade.
Tão verdade que parece mentira!

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

27/01/2010 My birthday!


36 anos.
Tornei-me mais velha que tu.
Ficáste a 3 dias de os fazeres.
Os teus 36 anos.
Estou triste por não estares aqui.
No entanto, consigo ter um sorriso na cara.
És tu que mo fazes.
É a força que me fizeste ter,
és a força que me deixáste cá.
Tenho-me lembrado de ti
em cada telefonema que recebo de Parabéns.
Gostava que fosses tu!
Tal como a primeira mensagem que recebi.
Pensei em ti
e em como queria que fosse tua.
Estás presente em todos os Parabéns que me dão,
pois em todos me falam de ti,
subentendido,
no "dia feliz dentro do possível".
E como queria que o fosse!
Como queria a única prenda impossível
e que sei que ninguém me pode dar.
Como te queria aqui!
Choro agora, neste momento,
mas lembro-me que não querias que chorásse, nunca.
E lembro-me do abraço que me davas por o fazer,
para não o fazer.
O aperto que sinto neste preciso momento,
vou transformá-lo num abraço teu.
A única prenda que queria...
TU!!!

domingo, 24 de janeiro de 2010

23/1/10 9:53 Hope so


Abraça-me!
Preciso de um abraço teu.
Mas só se estiveres por aí...
E que não te faça mal.
Se fizer mal,
espero que já tenhas passado para o outro lado.
Que estejas bem...
Descansa em paz!

Meu Deus,
não o deixes ver-me quando estou assim mal.

"Não me vês, porque estou dentro de ti!"

23/1/10 13:01 Nada!

"Nada!
O ar lá fora queima-me os olhos...
Vou arrancá-los e livrar-me da queimadura."

J.M.

Calma, apenas uma hipérbole do que fazer em caso de sofrimento exagerado.
E não que deixe de sentir o que sinto.
Sofrer o sentir também ajuda a acalmar e a passar (ou pelo menos amenizar).
O amor, esse não vou deixar de sentir.
Nunca!

5/1/10 11:21 (escrita atrasada)

Faz hoje 2 meses amor.
Faz hoje 2 meses,
que tu saíste de casa para nunca mais voltar.
Não porque tu o quiseste
mas porque a vida assim te obrigou e levou!

21/1/10 21:50 ???

Onde é que estás?
Estás bem?
Estás em paz?
Vou-te voltar a ver?
Queria tanto...

18/1/10 15:30 TANTO!!!

Não estejas triste.
Não fiques mal por eu estar triste.
É normal, tenho saudades.
Queria-te tanto aqui comigo...
Aprendi tanto contigo,
cresci tanto!!!
Fizeste-me crescer tanto
com o teu desaparecimento...
mas custa-me tanto aceitar!!!
Precisava tanto falar contigo.
Precisava tanto de um abraço teu...
Que estupidez....
Precisava que tu me confortasses pela tua morte!

Não te preocupes Mick,
quando aí chegar,
podes ter a certeza
que te vou procurar!

domingo, 17 de janeiro de 2010

17/01/10 12:13 Aprender!

Infelizmente aprendemos,
por vezes da pior maneira,
muitas lições de vida.
Aprendemos que não podemos controlar tudo.
Que não devemos perder tempo com problemas,
que, comparados com a actual situação,
não são nada.
Atrevo-me a dizer que nem problemas são.
Aprendemos que não devemos ter medo.
Medo de tudo nos fugir ao controlo.
Medo de perder as pessoas que amamos.
Medo de arriscar, de viver a vida ao máximo.
Tanto medo tive,
tantos alertas dei:
"vai devagar, cuidado com os outros",
que num dia em que nem perguntei como ia,
perdi-o para sempre.
Para quê perder tempo a perder tempo?
Agora é que perdi realmente,
todo o tempo que tinhamos pela frente.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

15/1/10 2:27 Vou dormir...

e esperar sonhar contigo...
é quase como se passásses a noite comigo....

9/1/10 13:02 Verdeiro amor!

2 palavras definem na perfeição,
os 2 sentimentos que as pessoas mais nutriam pelo Miguel:
Admiração e Respeito.
Eu sinto os mesmos e adiciono mais 1:
Amor! Verdadeiro Amor!

7/1/10 1:06 Porquê?

Porque não posso questionar-me porquê?
Nunca fui uma pessoa de conformismos,
porque hei-de sê-lo agora quando,
mais do que nunca,
me sinto inconformada,
com o porquê que não entendo,
porque a vida mo faz passar, outra vez?
Porquê?
Porquê a ele? Porquê como?
Porquê a nós? Porquê agora?
Porquê tudo?

...a pensar... nos porquês sem resposta que a vida me faz perguntar...

2/1/10 10:55 Talvez... naturalmente...

Acredito que um dia te vou encontrar.
Não de uma forma religiosa, mas de uma forma natural!!!!

2/1/10 10:53 Louca... ou talvez não

1 dia vou encontrar o meu amor, tenho a certeza!
Como sei? Sinto-o!!!
Estou louca?
Talvez... e vocês?

1/1/10 11:54 Morrer...

Morrer, não que me mate,
mas de desgosto, talvez!!!

1/1/2010 11:42 Mais um ano novo e de novo só queria que te trouxesse a ti, de novo!

Aqui estou eu mais uma vez,
em frente a uma das nossas muitas praias.
Podias estar aqui comigo
mas infelizmente não estás.
Continuo a pensar que podia ser mentira.
Continuo a distrair-me às vezes
e constantemente a constatar que afinal não estás,
não vens, não voltas.
Ai amor
queria-te tanto aqui ao pé de mim!!!
Dói-me tanto sem ti aqui.
Fazes-me falta Mick!
Custa-me tanto imaginar a minha vida sem ti.
E penso que por mais que o tempo passe,
vai-me custar sempre tanto,
vai ser sempre tanto,
esperando pelo dia,
em que espero voltar a ver-te!
Amo-te tanto...
amor da minha vida!!!

31/12/09 1:42 Fim do ano

Hoje é o último dia deste ano.
Este ano que começou bem
mas que acabou terrivelmente mal.
Faz hoje 8 semanas,
8 semanas que partiste nessa viagem sem regresso.
8 semanas que não te vejo.
Nunca estive tanto tempo sem te ver.
Nestes 5 anos e 5 meses de relacionamento,
feitos hoje,
e até começámos muito tempo antes,
nunca estive mais de 1 semana sem te ver.
Queria tanto ficar contigo para sempre!!
Queria mais uma vida toda.
Queria aproveitar cada minuto,
cada hora, cada dia que passei contigo.
Queria conseguir recordar tudo
para poder reviver todos estes anos.
Queria poder abraçar-te só mais uma vez.
Beijar-te
e desejar-te Feliz Ano Novo.
Amo-te sempre!
Amo-te para sempre!
Mick, amor da minha vida!!!
Como pôde acontecer???!!!

28/12/09 3:06 Poema sem(ti)do

Sinto falta do teu pé
encostado ao meu, enquanto dormimos.
A ancorar-me, neste barco que é a nossa cama.
Mergulho de um lado para o outro
e já não te sinto mergulhar comigo,
quando me viro e me agarrávas.
Sinto o teu braço à minha volta,
imagino que te viras
e que é a minha vez de mergulhar contigo...
mas nem me mexo,
não consigo.
Tenho medo de cair, sozinha,
desamparada.
Sinto o teu peito nas minhas costas, quando me aquecias.
Consigo sentir as tuas costas quentes no meu peito.
Consigo sentir-te nas minhas mãos,
quando penso como dormíamos agarrados.
A minha mão no teu peito, a passear...
juro, consigo sentir-te na ponta dos meus dedos.
É incrível como te sinto tão vivo em mim,
na minha mente
e sim, nas minhas mãos.
Sinto os teus beijos no meu pescoço
que me arrepiavam quando te dizia "Pára"
e que sabias que, sim, queria mais.
Estou do teu lado da cama,
que é o mais perto que consigo estar de ti.
Sinto a falta que me fazes
por não te sentir.
E sinto, se sinto,
esta dor tão grande
de uma vazio imenso,
que a minha vida se tornou
por não te ter aqui comigo Mick,
pois sem ti,
a minha vida não tem sentido
e eu não (te) tenho sentido, sem ti!

28/12/09 2:55 Mais um dia...

Amor da minha vida!
Fez na véspera de Natal
7 semanas que nos deixáste,
que partiste nessa longa viagem,
que cedo fizeste.
Foi o Natal mais triste da minha vida,
aliás, não foi Natal.
Foi mais um dia, mais triste, na minha vida,
desde que tu partiste.
Todos os dias,
são lutas contra o desejo de que fosse tudo mentira,
de não teres partido cedo de mais.
Todos os dias luto
para não me ir abaixo,
para ter um sorriso, sem sentido, na minha cara.
Para que pensem que estou a reagir bem,
pela minha mãe,
pela tua mãe,
pela necessidade que tenho de estar bem.
Mas não estou,
não consigo.
É impossível!
Como posso estar bem,
se me roubaram a minha felicidade?
Se me roubaram o meu sorriso ao acordar?
Acordar!?!
Acordar é tão triste agora!!!
Acordar é todos os dias lembrar que não estás cá,
que não vais estar cá mais,
para o resto da minha vida!
Acordar é constatar que vou viver sem ti...
e dói!
Sabes que a primeira coisa que eu fazia ao acordar era rir...
Chorar é a primeira coisa que faço todos os dias que agora acordo,
quando dou por mim do teu lado da cama,
frio sem o teu calor,
gelado sem o teu amor,
hibernado para sempre!

28/12/09 2:03 Pensamentos...

...a pensar nos porquês sem resposta que a vida me faz perguntar...

28/11/09 4:44 Desespéro sem ti aqui

O que é que eu faço sem ti amor?
O que é que eu vou fazer sem ti?
Para onde vou sem ti amor?
O que é que eu faço aqui sem ti?
É-me tão difícil imaginar a minha vida sem ti...
nada me parece fazer sentido agora.
Sinto frio sem ti aqui,
ao pé de mim.
O meu coração gela de dor por não estares aqui.
Por saber que nunca mais te vou ver.
Apenas em fotos.
Apenas em vídeos.
Apenas nas minhas recordações.
Amo-te Miguel Alexandre,
sempre e para sempre.
Sofro todos os dias por não te ter aqui.
Quando me lembro de ti,
quando me lembro de nós.
Sofro por saber que nunca mais nos vamos tocar,
por saber que nunca mais te vou ouvir...
chamar-me Karlota mai linda,
jeitosa, bebé, amor.
A tua Karlota Máriza :'(

27/11/09 20:39 Pensamentos...

...a pensar, constantemente,
na vida e no sentido da vida,
ou na vida... sem sentido!

22/11/09 18:11 O mar de S.Pedro

O mar parece revoltado amor...
Será que sente a minha dor?
Ou és tu que me falas por ele?
Não te quero triste amor.
Aproveita e descansa.
Um dia encontramo-nos,
para sermos felizes para sempre,
só tu e eu,
no nosso amor imenso,
que tarde percebi que existia.
Aprendi a lição da pior maneira.
Poderia ter sido um abre olhos
mas foi um castigo.
Agora sei que era grande o teu amor
e de que me vale isso?
Só me consome mais...
mas também me conforta!
só que não serve de nada!...

(Ficam estes últimos meses...
foram muitos e bons!)

22/11/09 18:05 Frustração

O meu amor morreu!
O meu namorido.
O meu eterno namorado,
aos olhos da lei meu marido.
Nada disso importa,
são só palavras.
Palavras servissem para o trazer de volta,
que eu gritaria bem alto,
com toda a força que o amor me dá,
para o trazer de volta.
Mas nada disso serve,
nada adianta.
Nada do que eu possa gritar,
chorar, pedir, implorar
faz com que o meu amor acorde
do sono profundo em que entrou.
Nada consigo fazer!
Impotente frustação de nada poder fazer.
Preciso estravazar de alguma forma
esta raiva que sinto por nada poder fazer.
Escrever ajuda,
mas não é alto o suficiente,
para pôr para fora esta dor que sinto.
No entanto alivia.
Por momentos sinto que me ouves,
o pior é a seguir,
quando páro e vejo que tu aqui não estás!!!

22/11/09 17:45 "Inté!"

Estou aqui numa das nossa praias.
Estou em S.Pedro,
onde viemos a última vez.
Estou triste Mick!
Muito triste sem ti.
Esta dor que continua a aumentar
está-me a consumir imenso.
Sinto um desespero enorme por não te ver,
por não te ter.
Quero esperar por ti
mas sei que nunca mais vais voltar.
Dói-me muito!
Sinto vontade de morrer,
mas não te preocupes,
nada vou fazer.
Embora a minha vida tenha perdido o sentido,
tenha perdido a habitual alegria,
o que me faz apetecer morrer,
eu não o vou fazer.
Vou continuar pelos dois,
com a força que este amor imenso,
me faz conseguir ter...
mas metade da minha vida
perdeu o significado,
senão, quase toda.
E agora Miguel?
Agora mais uma vez te pergunto:
O que faço a todo este amor que tenho dentro de mim?
Morrer era o mais fácil,
mas seria errado
e eu sei que não irias gostar que o fizesse.
Sabes o que acalmava esta dor?
Saber que um dia te voltarei a ver,
pois mesmo faltando muito tempo,
sabia que um dia te iria reencontrar
e só isso acalmaria o meu coração.
Só isso amenizaria a dor que sinto
e que me enche o peito
de um vazio tão grande
que nem cabe dentro de mim...
tal como esta dor,
tal como este amor,
que sei, nunca vai deixar de existir.
Este amor que sinto
e que tanto me fez lutar por ti.
Os maus momentos não existiram,
estão fechados numa caixinha,
arquivados para sempre.
Só ficaram todas as boas recordações
e estes últimos momentos que foram tão bons,
como dissemos no último dia:
"Temo-nos rido tanto um com o outro",
Amor da minha vida...
"Inté!"

22/11/09 10:22 mcMick

Não podes fazer nada Karla.
Não há-de custar a vida inteira...
mas há-de custar quase a vida toda!
Mas não podes fazer nada Karla.
Por isso, conforma-te com a partida.
A partida do teu amor para longe...
A partida que a vida te pregou!!!

21/11/09 13:11 Saudade...

Onde estás?
Onde estás que não te vejo?
Onde estás que não te sinto?
Choro por te querer sentir.
Choro por ter saudades das tuas mãos...
saudades que me toques...
Imagino-nos os dois juntos,
como sempre,
entre abraços e beijos,
quando fazemos amor...
quente, tão quente.
Tempo, tanto tempo...
E também é este tempo que me consome.
Tanto tempo pela frente,
sem ti aqui
ao pé de mim...
Amor, onde estás?
Onde estás que não te vejo?
Mas sinto-te!
Consigo sentir-te quando me lembro de ti.
Consigo rir-me quando me lembro de ti,
quando me lembro de nós...
e choro tanto a seguir!
Vou sentir muitas saudades do teu calor.
Sinto saudades do teu amor...
Saudade é o amor que fica!
Ficarás para sempre no meu coração!
Tu sabes!!!

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

18/11/09 0:27 Obrigada!

A saudade que sinto,
ainda está na fase de aumentar a dor,
que quase se torna insuportável.
Valem os amigos que tenho o orgulho de dizer:
Muitos e bons.
Obrigada por toda a força.

Karla Branko

13/11/09 16:20 Obrigada amiga Teresa!

Ainda não consegui escrever o que sinto,
talvez por ainda me custar a acreditar,
mas transmite na realidade o porto de abrigo que o meu amor era para mim.
O meu rumo, a minha alegria, o meu sentido de viver.
No meu coração ficará numa metade,
porque a outra morreu com ele também.
Amo-o sempre e para sempre!
E é pelos dois que vou continuar neste trilho de tantas partidas,
de tantos sobressaltos.
Caminhos sinuosos, por vezes, sem sentido.
Obrigada amiga Teresa.

13/11/09 16:07 Obrigada Teresa

Do blogue "Uma música por dia", posto a 6/11/09
Música: Pearl Jam "Light years"

"... (não sei que título dar a este post)

Que estranho é pensar que tudo pode apagar-se em segundos.
E depois? Que sentido faz a vida, se pode escapar-nos das mãos?
Que sentido faz esta correria desenfreada.
A competição em que vivemos.
O que temos, onde chegamos, quem somos…
é tudo para nada?

A meio do acto, quando ainda há tanta história por contar,
pode apagar-se a luz e fechar-se a cortina.
E pura e simplesmente acabou.
Sem avisos.
Terminou o espectáculo - The End!

Não pode ser assim que tudo acaba!
Porque assim, a vida deixa de fazer sentido apenas porque existe a morte.
Quero acreditar que esse final é apenas o começo de algo que está ainda muito para além do nosso entendimento.
E que o sofrimento de quem fica é apenas mais uma das provações a que esta vida nos submete…
Mas, hoje, a revolta é imensa!
Há pessoas que não merecem tamanha cruz, e para quem a vida é mesmo filha da p***...

Ao M., em jeito da despedida que nunca farei,
deixo o meu “Adeus, até sempre!”.
Á minha grande amiga C.,
deixo o silêncio de quem sabe que nenhuma palavra será suficiente para amainar a dor.
Eu estarei sempre aqui."

11/11/09 15:37 Saudade é o amor que fica!

Que bom que existe a saudade...
o amor que fica, assim é eterno,
pois esta saudade não vai desaparecer nunca!

11/11/09 5:09 Inté Miguel!

...

11/11/09 4:59 A minha alegria, o meu sentido de viver!

"Parem todos os relógios,
cortem o telefone.
Impeçam que o cão ladre com um osso delicioso.
Calem os pianos e,
com um tambor abafado,
tragam o caixão,
deixem passar os chorosos.
Deixem os aviões sobrevoarem
gemendo lá em cima,
escrevinhando no céu a mensagem:
ele morreu.
Coloquem laços à volta dos pescoços das pombas.
Deixem os polícias de trânsito
usarem luvas de algodão.
Ele era o meu Norte, o meu Sul,
o meu Este e o meu Oeste.
A minha semana de trabalho
e o meu Domingo de descanso.
O meu meio-dia,a minha meia-noite,
a minha conversa, a minha canção.
Pensava que aquele amor duraria para sempre.
Estava enganada.
As Estrelas já não são desejadas,
apaguem-nas.
Embrulhem a Lua e desmanchem o Sol.
Despejem o Oceano
e varram a Floresta,
porque agora não servem para nada."

W.H.Auden

11/11/09 3:53 Sufoco de dor...

Espero que esta dor enorme, que me sufoca, passe depressa...
A saudade? A saudade não vai passar nunca...
e também dói...
muito...
sempre!

11/11/09 3:41 Para sempre!

As voltas que a vida dá!!!
Como é possível estares tão feliz e de repente o teu mundo acabar???

11/11/09 3:14 mcMick... saudade...

Miguel, o meu coração é teu!!!